O que é saúde?

O CONCEITO DE SAÚDE PÚBLICA COMO AGENTE CONSCIENTIZADOR DO PROFISSIONAL DE SAÚDE E CIDADÃOS

 

A discussão que envolve o tema Saúde Pública, se corretamente compreendida, também o será tratada e valorizada. A preocupação é que não somente os Profissionais da área da saúde tenham essa compreensão, mas também os cidadãos de nosso país, uma vez que Saúde consta em nossa Constituição Federal:

Art. 196 da Constituição federal brasileira, que diz que “a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”.

 

A correta compreensão do termo: “Saúde” é um bom começo para essa análise. Podemos considerar o trecho da Constituição citado. Mas também podemos explorar novos olhares. Vamos pensar então, Saúde é algo essencial? Sim! Porque muitas vezes nem mesmo os Profissionais da área sabem definir o que é Saúde? É necessário atenção e um pouco de senso crítico.

Podemos observar a definição da OMS (Organização Mundial da Saúde), que define Saúde como:

“saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças”.

 

O que seria COMPLETO BEM-ESTAR? Será que isso é possível Mental, Social e Fisicamente?

Porém a definição de saúde, implica em questões sociais e legais, econômicas e psicológicas, e devemos ter zelo ao tentar definir e até mesmo dizer: “Sou saudável”,  “Tenho boa saúde” sou uma pessoa com “Qualidade de Vida”.

Infelizmente, em algumas Avaliações de acadêmicos de Saúde tive a surpresa e desprazer em ler: “Saúde é estar feliz com seu corpo!”, ou: “Saúde é não sentir dor.” São definições rasas e sem fundamento científico.

Se procurarmos um pouco mais no “Dicionário On Line”, podemos ter uma definição mais abrangente e que pode ser mais completa:

  1. “estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital.”
  2. “estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar.”

Creio que começamos a encontrar uma definição mais palpável e próxima da realidade. Tornando mais fácil o entendimento, e também uma possível avaliação.

Podemos também definir a Saúde utilizando um conceito muito discutido em matérias que abordam o assunto: Homeostase (Homeostase é a condição de relativa estabilidade da qual o organismo necessita para realizar suas funções adequadamente para o equilíbrio do corpo. Homeostasis:  palavra de origem grega, cujo significado já define muito bem o que vem a ser:  homeo- = semelhança; -stasis = ação de pôr em, estabilidade.). A Homeostase por si só, já se volta a definição de saúde. Afinal se saúde é o “estado de equilíbrio dinâmico”, logo a “condição de relativa estabilidade” do nosso organismo é então o Equilíbrio de nossos órgãos, nosso meio interno com o externo, resultando assim, num estado de saúde, bem-estar.

Poderíamos então fechar esse raciocínio, dizendo que Saúde é o Equilíbrio?

Não, na verdade Saúde é um conjunto de ações, atitudes, mudanças, pessoas, profissionais e fatores.

O “completo bem estar físico, mental e social”, já vimos que trata-se de visar uma perfeição inatingível, correndo o risco de acreditarmos ser impossível estar ou ser saudável!

Através de estudos científicos que discutem esse assunto e trazem novas definições e novas perspectivas, ponderando e considerando o meio em que vivemos, podemos identificar uma definição mais plausível. Não contente com as definições as quais estudei e me foram impostas, em meio as minhas pesquisas e questionamentos, achei um Artigo denominado: “O conceito de Saúde”, (SEGRE, Marco, O conceito de saúde. Rev. Saúde Pública, 31 (5): 538-42, 1997. DISPONÍVEL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89101997000600016 ) que traz uma definição “recente, atual e palpável” da qual gostaria de lançar mão para essa reflexão:

saúde é um estado de razoável harmonia entre o sujeito e a sua própria realidade”.

Logo se eu Profissional da Saúde ou não compreendo que Saúde é algo plausível, alcançável, possível dentro da minha realidade, torna-se desejável alcançar essa harmonia. A partir de então, podemos nos preocupar em explorar a compreensão que o indivíduo tem do seu meio, suas necessidades e como alcançar saúde.

Para a Compreensão de Saúde pública e aplicação deste para a sociedade é importante trazer à tona a discussão sobre a compreensão e ensino correto da História do Brasil e da Saúde no Brasil.

Percebo a necessidade de compreender como o SUS – Sistema Único de Saúde funciona.

A partir do momento que a sociedade compreender que devemos valorizar e priorizar Promoção e Prevenção à Saúde, pensar em Qualidade de Vida, antes de sermos acometidos por alguma patologia, comorbidades, complicações e agravos à Saúde, os profissionais poderiam dedicar-se àqueles que de fato não tem acesso à essas informações e cuidados. Focando a Prevenção e elevação da Saúde da população. Nesse caso, teríamos um maior esforço e investimento no Nível Primário, poupando e desafogando os serviços hospitalares, em geral, o Nível Secundário e até Terciário.

Finalizo essa breve reflexão, registrando que é salutar, priorizarmos a Educação em Saúde, seja para nossas crianças (como em países desenvolvidos, onde crianças são treinadas como disciplina básica, a identificar sinais e sintomas de IAM – Infarto agudo do miocárdio, AVE – Acidente Vascular Encefálico, RCP – Ressuscitação cardiopulmonar entre outros assuntos e procedimentos), nossos jovens, nos cursos profissionalizantes ou universidades, assim como também em todos os serviços de Nível Primário, evitando focarmos somente em resolver problemas já estabelecidos, mas em paralelo, educar para que através da conscientização todos, em uma ação mútua possamos visualizar uma elevação verdadeira, da Saúde de nossa População. Assim como elucida a maioria dos Juramentos dos Profissionais da Saúde.

Consideremos, pois, a educação o agente transformador do nosso Sistema da Saúde e cenário atual.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS

 

1 SEGRE, Marco; FERRAZ, Flávio Carvalho. O conceito de saúde. Rev. Saúde Pública,  São Paulo ,  v. 31, n. 5, p. 538-542,  Oct.  1997 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89101997000600016&lng=en&nrm=iso>. access on  21 Apr  2020.  https://doi.org/10.1590/S0034-89101997000600016.Morosini MV, Fonseca AF, Pereira I. Educação em Saúde. In: Pereira IB, Lima JCF, organizadores. Dicionário de Educação Profissional em Saúde. Rio de Janeiro: EPSJV; 2008. p. 155-162.

 

2 “O que é Saúde”, (artigo do Grupo de consultoria: Ato Saúde – Santos/SP), 08.07.2015

DISPONÍVEL: http://atosaude.com/o-que-e-saude/. Acesso: 20 abr. 2020.

 

3 Saúde

DISPONÍVEL: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sa%C3%BAde. Acesso: 20 abr. 2020.

 

4 Homeostase – Qualidade e Equilibrio na Saúde, Notas de estudo de Administração Empresarial

DISPONÍEL: https://www.docsity.com/pt/homeostase-qualidade-e-equilibrio-na-saude/4710523/ Acesso: 20 abr. 2020.

 

5 Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva

DISPONÍVEL: https://www.scielosp.org/article/csc/2014.v19n3/847-852/ Acesso: 20 abr. 2020.

 

6 Educação em saúde na escola

DISPONÍVEL: https://www.scielosp.org/article/rsp/1972.v6n1/89-96/pt/ Acesso: 20 abr. 2020.

 

 

 

 

Comments are closed.